UMA VISÃO INTEGRAL

A ciência védica, Medicina Ayurveda, percebe as atividades biológicas, mentais e espirituais como sendo interligadas e interdependentes, na qual o foco de sua atenção se encontra na manutenção da saúde e logo, na prevenção de doenças, tendo como premissa que o estado de saúde é uma condição normal e possível à todos os seres.

A doença para a Ayurveda é muito mais do que a manifestação de sintomas desagradáveis ou condições limitantes de saúde, essa inicia-se muito antes de chegar à fase em que finalmente pode ser percebida quando já se encontra instalada no corpo físico.

Padrões comportamentais, bloqueios emocionais, traumas, o próprio DNA ayurvédico, o momento da concepção, questões kármicas são levados em consideração quando se observa alguma situação onde a doença se apresenta. A compreensão do que pode ter originado ou mesmo como que esse desequilíbrio é “alimentado” através das repetições e hábitos, é o início de qualquer processo de auto cura.

A ideia de saúde não se limita a um corpo livre de doenças, mas à um conjunto harmônico entre matéria, mente e espírito. O auto-conhecimento é um caminho para o aprofundamento da nossa verdadeira essência e despertar a percepção das ações e reações de nossas escolhas.

Obviamente que esse processo de consciência não invalida os próprios procedimentos ayurvédicos realizados com os óleos, ervas, dietas etc…, que apresentam resultados em casos de doenças já crônicas, que muitas vezes só chegaram a esse estado porque não foram observadas no todo.

Mas os pequenos desequilíbrios tendem a aumentar conforme não os percebemos, e quando não “corrigidos”, através de mudanças de hábitos, reeducação alimentar e práticas destinadas a necessidade pessoal, tornam-se o que acabamos por chamar de “doenças”.

O foco não reside na doença, e sim no ser como um todo.