OS ALIMENTOS E OS DOSHAS

Ao nos manter atentos no momento da alimentação, passamos a perceber como esses alimentos reagem ao entrar em contato com nosso corpo. Percebemos então quais são as sensações detectadas por ele e enviadas à nosso cérebro. Nossos olhos, nariz e nossa língua são órgãos auxiliares nesse processo de percepção e autoconhecimento. Não basta a comida ser saborosa, ela deve ter uma apresentação agradável aos nossos olhos, assim percebemos seus tons, texturas. Seu aroma deve ser leve e agradável para detectarmos as suas diferentes nuances. Ao sentirmos seus infinitos sabores já sabemos o que nos agrada e o que não toleramos. Basta estarmos atentos, atentos…

Essa inteligência corporal, dos nossos órgãos sensoriais em relação aos alimentos, acontece pois existe uma empatia e incompatias naturais. Mais do que nossa mente, nosso corpo comunica-se de uma forma muito clara e eficaz no que se trata da sua capacidade de sobrevivência.

É claro, que além dos princípios do autoconhecimento e observação do nosso corpo e suas reações, também existem os conceitos ayurvédicos quanto à natureza dos alimentos. Esses conceitos se referem à quais os elementos que compõe determinado alimento.

Para sabermos se determinado alimento é indicado para nosso dosha, devemos considerar a relação entre os sabores, elementos e sensações de frio e quente causados em nosso corpo. Partindo desse conhecimento, torna-se possível iniciar o equilíbrio dos doshas ao compararmos suas propriedades com as dos alimentos:

Sabor Elemento Sensação
Doce Terra + água Frio
Acído Fogo + terra Quente
Salgado Água + fogo Quente
Amargo Terra + ar Frio
Picante Fogo + ar Quente
Adstringente Terra + ar Frio

 Os Doshas e as influências 

Dosha

Desequilíbrioemocional/físico

Estação de acúmulo

Horário de acúmulo

Alimentos que agravam

Vata

Nervosismo, fatiga, artrite, má circulação Inverno, frio, tempo seco Das 02 as 06 hs edas 15 as 19 hs Gelado, seco, amargo, gasoso, e sem nutrientes, como refrigerante, salgadinho,

Pitta

Raiva, inveja, acidez estomacal Verão, sol excessivo Das 11 as 15 hs, das 23 as 02 hs Picante, quente e oleoso, como conservas, condimentos, frutas e legumes ácidos.

Kapha

Depressão, apego, retenção de liquido Primavera, chuva e umidade Das 06 as 10 hs, das 19 as 23 hs Pesado, frio e oleoso, como frituras, laticínios,

PITTA

Deve enfatizar a rotina em relação ao horário do almoço. Pitta tende a sentir fome por volta do meio dia, e negligenciar essa necessidade pode desequilibrá-lo. São favoráveis os sabores doce, amargo e adstringente. Também uma dieta que seja fria (refrescante), levemente seca e um pouco pesada. Os alimentos devem ser frescos, crus ou semi-crus, podendo diminuir os estimulantes. Deve beber bastante líquido, sucos verdes ou de uva, maçã etc.

Para esse biotipo, muito sensível ao calor, deve evitar ambientes e alimentos excessivamente quentes, e não alimentar-se com raiva ou com a mente em profunda agitação.

VATA

Precisa estabelecer em sua vida uma rotina diária, que acalme e que seja regular. Isso implica em hábitos como levantar no mesmo horário, dormir cedo, não fazer exercícios extenuantes. Comer em horários regulares, de preferência de 3 em 3 horas, sem exagerar nas quantidades para evitar os problemas de má digestão. Na dieta, deve priorizar os sabores doce, ácido e salgado, o picante pode ser usado em pequena quantidade. Dar preferência por alimentos quentes, pesados, umedecidos e nutritivos.

Esse biotipo possui uma digestão errática, logo às vezes se sente bem com alguns alimentos e às vezes não, portanto como prevenção, deve evitar grande diversidade de alimentos numa mesma refeição, evitando assim sobrecarregar o metabolismo.

KAPHA

Tende a um metabolismo mais lento, de modo que ele deve aquecer e estimular o sistema digestivo. Deve aumentar a quantidade de alimentos mais quentes, mais leves e menos oleosos e reduzir os alimentos mais frios e pesados. São favoráveis os sabores picantes, amargos e adstringentes. A pessoa do tipo kapha não deve comer demais, além disso deve ingerir ervas e especiarias que ajudem na digestão, na eliminação de muco e toxinas, e que sejam diuréticas, como a cavalinha, erva-doce, gengibre, hortelã e canela.

Esse biotipo tende a desequilibrar-se na alimentação muitas vezes por fatores emocionais, logo um programa somente de dieta não basta, é necessário aprofundar nas questões mais sutis, mergulhar na consciência e perceber onde está o real desequilíbrio.

2 thoughts on “OS ALIMENTOS E OS DOSHAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s