Meditação para os Doshas

Aqui, a meditação será tratada com um viés terapêutico direcionado, com o maior respeito à todas as técnicas e linhagens que existem, abordaremos somente um milésimo dos conceitos, benefícios e virtudes desenvolvidas através de uma prática séria e dedicada.

Apoiados na fundamentação dos elementos e suas influências em nossa mente, estado psicológico e tendências, abaixo segue uma breve orientação de quais as técnicas que podem melhor combinar com cada dosha, lembrando que as técnicas que não foram citadas, não estão excluídas!

 

Meditação para os tipos Vata

Por conter os elementos ar e éter em sua constituição, os vatas são o biotipo mais “leves”, logo, as pessoas dessa natureza precisam de uma prática que auxilie a “aterrar” os pensamentos e tranquilizar a mente, dando suporte, base e estrutura.

Meditações com bom tempo de permanência, sem estímulos visuais nem sonoros podem ser uma boa opção, muitas vezes indo contra o gosto desse biotipo, pois por ser a audição, um sentido controlado por vata, este possui grande afinidade e sensibilidade aos sons.

As visualizações podem alimentar a criatividade da mente, característica marcante nos tipos vata, portanto neste momento meditativo elas não são muito indicadas. A concentração na respiração, pode abrandar os pensamentos excessivos, assim como locais próximos à natureza, de preferência em contato com a terra.

A sensibilidade de vata possibilita que este se conecte facilmente com práticas sutis como a meditação, mas vale lembrar que o estado de alerta e vigília requerem certa sobriedade e praticidade, devendo ser evitado alimentar fantasias por conta de algumas sensações advindas após um tempo de prática.

A prática de Anapana, dentro dos conceitos fundamentados pela técnica de Vipassana pode ser um bom caminho, pois esse se apoia na prática propriamente dita (sentar e apenas observar) como o caminho de equilíbrio, não se prolongando muito nos estudos filosóficos, culto às imagens ou divindades.

 

Meditação para os tipos Pitta

Os tipos pitta possuem uma mente muito astuta e desafiadora, logo, uma prática de meditação que vá além dos jogos de poder da mente e do ego é o mais indicado a  esse biotipo.  De nada adianta oferecer uma prática com muitos estudos e análises a uma mente que já exercita o intelecto por princípio.

Meditações com entoações de mantras, culto à divindades com propósito devocional, de respeito e amor são ótimas ferramentas para desenvolver a compaixão e proporcionar aos tipos pitta saírem do raciocínio lógico e sentirem as situações com a emoção.

Valendo que essa prática deve ser verdadeira, onde no início possa parecer um tanto “desajustada” para o dosha do elemento fogo, mas logo este transmutará os conceitos e julgamentos chegando à mente equilibrada e serena.

A prática de meditação pode vir a aquecer um pouco o corpo, logo, as práticas não devem ser extensas de imediato, evitando também locais fechados em estações quentes. O ideal é que haja um ritual de abertura, com algum mantra que faça algum sentido ou que a pessoa sinta afinidade, acender uma vela, para então sentar-se em posição com a coluna ereta e visualizar a divindade que exerça influência positiva na mente.

O hinduísmo com seu imenso leque de deuses e diversas práticas ritualísticas pode ser uma prática convidativa, colorida e cheia de vida para esse dosha que adora encher os olhos com lindas imagens!

Meditação para os tipos Kapha

O dosha dos elementos terra e água necessita de certa leveza e dinamismo em sua prática meditativa.  Pessoas dessa natureza possuem uma mente mais “calma”, mas não necessariamente mais lúcida ou clara, sendo ainda a prática de meditação uma ferramenta útil para ativar a atenção e trazê-la para o momento presente.

A permanência excessiva ou meditação em locais escuros, extremamente silenciosos ou em épocas chuvosas, pode se apresentar como um desafio a esse biotipo, que tende a letargia e sonolência quando em desequilíbrio.

É interessante ativar características opostas às tendências de cada dosha, para assim desenvolver novas virtudes, ativar pontos energéticos que se encontram estagnados e equilibrar os elementos no corpo e mente. Para kapha, uma prática austera, séria (na postura) e energizante pode vir a auxiliar na busca desse equilíbrio.

Combinar práticas meditativas com caminhada é um ótimo exercício de plena atenção para kapha, que se acomoda facilmente à situações e locais “aconchegantes”.

Dentro das práticas do Zen Budismo existe a caminhada meditativa, onde contempla-se somente o momento presente, cada passo, um de cada vez, cada inspiração e expiração.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s