IMG_2452[1]

Inhame Inhame! Com caldinho de feijão fradinho :)

Muito se fala do inhame e seus benefícios e pouco se fala das inúmeras possibilidades em utilizá-lo…, salvo um livro que sou fã, da Sônia Hirsh, aproveitem e deem uma espiadinha!

Para essa entrada repentina de friozinho, por que não um caldinho mais nutritivo, detox, diurético e quentinho? Pois bem, a combinação do feijão fradinho com o inhame produz essa maravilha: enquanto limpa o sangue, auxilia na eliminação do excesso de líquido e ainda faz nosso estômago feliz por aquecê-lo sem pesá-lo!

Vamos lá, toda leguminosa deve ficar de molho na água por pelo menos 24hs, assim elas liberam as substâncias tóxicas e de difícil digestão. Se puder, troque a água entre 2 e 3 vezes, dispensando totalmente as águas. Essa dica apesar de ser geral, é muito enfatizada pela Ayurveda, principalmente para os biotipos vata, que costumam produzir gases com mais facilidade.

Prefira cozinhar o feijão em panela de barro, aquecendo ainda mais sua propriedade. Para a medida de 2x de feijão, pode-se utilizar em média 2 inhames médios descascados e picados. Acrescente o inhame no feijão após cozedura parcial do grão, senão ele amolece demais e some o caldo!

Prepare um refogado separadamente, utilizando 1 c de sopa de ghee (manteiga clarificada), 2 folhas de louro, 1 c de sobremesa de cominho em grão, 1 c de sopa de mostarda preta em grão e um pedacinho de gengibre fresco ralado, e se quiser mais apimentando acrescente 1 c de chá de pimenta fresca dedo de moça, afinal, as especiarias além de darem sabor facilitam ainda mais a digestão dos grãos pesados, então nunca é demais! Derrame o refogado na panela onde os grãos e inhame estão quase cozidos, acrescente pitada de sal e deixe terminar de cozinhar com a panela tampada e assim que tiverem macios faça sua escolha: sopinha com textura e pedacinhos ou creme batido, experimentei das duas formas e ficam uma delícia, lembrando de acrescentar cebolinha picadinha no final, enjoy!

IMG_2446[1]

Bolo Vegan de Cacau e outras cositas mas…

Existem mil e uma receitas de bolo fofo de chocolate não? Agora existem ainda, mil e uma receitas de bolo (nem sempre tão fofo, rs) de cacau, vegano, sem glúten, etc e por ai vai…, onde está a diferença entre as antigas e atuais receitas? Ai vai a resposta: conceitos…, Ãh? Sim, isso mesmo, CONCEITOS!

Vamos lá, o conceito do que é uma alimentação saudável passou e ainda passa, aliás, cada vez mais e mais rápido, por mudanças de paradigmas…, lembra da história do ovo ser o vilão e depois o mocinho? Então, é disso que estou falando: interesse da indústria alimentícia, evolução (ou não) da ciência, mais e mais conhecimento de mais e mais especialistas, interesses pessoais e comerciais, poder, e claro, deixando de lado um pouco da “teoria da conspiração”, temos ainda a questão dos valores…, ah os valores!

Valor moral, aquele que insinua se você está sendo bonzinho ou não, mas não pelo julgamento alheio não, mas, julgamento do nosso próprio juiz interno, aquele que muitas vezes é mais exigente, íntegro, cobrador, sabem como é né?! Então, os tais dos valores andam passando por uma reciclagem e tanto! Moralismo à parte, que bom (ou não, vai saber né…), que está virando moda ser saudável, isso faz com que despertemos nossa criatividade culinária e saibamos que linhaça pode-se usar no lugar do ovo, uva passa pode adoçar ao invés do açúcar, fermento químico pra bolo já era, e quer saber? Não é só de farinha de trigo que se vive o homem ora pois! Mas que vai trigo nessa receita vai…rs

Nem isso nem aquilo, a cozinha pode ser lugar de liberação criativa ou servir como o pior cárcere, aliás, isso é o que tenho mais visto: pessoas comendo sentindo-se culpadas! Ora, ou come e seja feliz ou opte em não comer e aceite feliz! Claro, não é assim tão fácil…, mas fica a dica: alinhe seus pensamentos às suas palavras e ações e quem sabe cozinhar se tornará uma prática mais saborosa, uma extensão das escolhas da sua alma naquele exato momento!

Vamos à receita? Você vai precisar:

– hidratar por 10 minutos 1 colher de sopa de linhaça moída junto à 3 colheres de sopa de água

– pré assar o forno

– bater primeiramente no liquidificador o suco de 2 laranjas bem doces, com 1/2 xícara de óleo de coco, 1/2 xícara de uva passa e 5 tâmaras sem caroço, e uma banana bem madura, e só depois de formar um creme, acrescentar 2 colheres de sopa cheias de cacau em pó, 1 xícara de trigo integral, 1 x de semolina fina de trigo, 1 colher de sopa de raspas de gengibre, 1/2 fava de baunilha e a mistura da linhaça, bate um momento, pare, ajeite a massa e bata de novo

– acrescentar 1/2 xícara de damascos picados e 2 colheres de sopa de nibs de cacau

– untar uma forma redonda com óleo de coco e um pouco de açúcar demerara misturado com trigo integral

– antes de despejar a massa, no próprio copo do liquidificador, derramar 1 colher de sopa de vinagre de maçã com 1 colher de chá cheia de bicarbonato em pó, misture delicadamente e ajeite a massa na forma

– assar por 30 minutos ou um pouco mais

Para a cobertura, derramar numa panela 3/4 xícara de leite de coco natural com 1 colher de sopa cheia de cacau em pó e a mesma medida de açúcar demerara, mexer até engrossar levemente e despejar na massa já morna e desenformada e com furinhos feitos delicadamente com palito de dente.

Degustem, sem culpa e com consciência!

Receita para um Café da Tarde Especial

Esses dias de chuva em Florianópolis proporcionam momentos de maior introspecção, e claro, imersão na cozinha! Nada melhor do que “testar” novas receitas e degustá-las em boa companhia, com um bom café orgânico polvilhado de cardamomo em pó, uma boa leitura com o livro “O caminho da Prática” e a presença de um gato branco a tudo observar e abençoar:)

Gatos e livros à parte, a arte das panelas e temperos se assemelha a liberdade do artista em frente a sua tela em branco, sem cobranças, nem regras, mas apenas o estado de presença e um toque de bom senso e estética pessoais!

Meus toques são culinários e tem à ver com as pitadas de conhecimento e prática ayurvédica que venho experimentando em meu laboratório da vida: arriscar, observar, sentir, não julgar, aceitar, recolher. Algumas receitas e relações nos trazem dor e sofrimento, impressões a serem limpas e trabalhadas no âmago de nosso ser, outras nos fazem rir e chorar de alegria…, não há nada “bom” ou “mau”, “certo” ou “errado”, há somente o espaço a ser criado para podermos contracenar em meio aos dramas e traje comédias kármicos!

Para completar o texto, só faltava a receita hein, lá vai!

IMG_1758[1]


Bolo de Ameixa com Cardamomo, Nozes e Iogurte

1 xíc de iogurte integral natural (pode substituir por leite vegetal de coco)

12 ameixas sem caroço

1 xíc de trigo integral

1 xíc de aveia em flocos finos

1/2 xíc de açúcar mascavo

1/2 xíc de água (pode substituir por suco de laranja)

1/2 xíc de ghee (pode substituir por óleo de coco)

1 colher de sopa de semente de cardamomo

1 colher de chá de masala chai

1/2 xíc de nozes picadas

2 colheres de sopa de linhaça moída na hora

1 colher de sobremesa de bicarbonato

1 colher de sopa de vinagre orgânico de maçã

Bater no liquidificador as ameixas com os líquidos (suco, água, iogurte) até formar um creme, então derramar essa mistura numa bacia com os outros ingredientes (menos o bicarbonato e vinagre), mexendo com uma colher de pau, aproveitando para sentir o aroma do cardamomo e masala chai!

Assim que tiver homogêneo, acrescente o vinagre e bicarbonato mexendo delicadamente, e rapidamente coloque a mistura numa fôrma untada com furo no meio e leve para assar em forno pré aquecido por 35′.

A Cobertura – diluir 1 colher de sopa cheia de óleo de coco com 5 colheres de sopa de água, 2 colheres de sopa de mascavo e 2 colheres de sopa de cacau em pó (daquele verdadeiro, que vem em “massa”, faz toda a diferença!), levar ao fogo mexendo por 5′, derramar no bolo ainda morna.


DICA: Se preferir que o aroma do cardamomo se intensifique, toste as sementinhas numa frigideira e moa num pilão antes de acrescentar a massa.

Como sugerido na receita, se preferir a opção 100% vegana da receita, substitua os ingredientes como orientado, da super certo e fica uma delícia igual!


Nem precisa falar o quanto essas especiarias fazem a grande diferença nessa receita: o cardamomo auxilia na digestão do iogurte e a masala chai “aquece” o bolo, facilitando a digestão inclusive das farinhas!

A opção em não acrescentar ovo e maneirar no açúcar, possibilita que esse bolo seja ingerido além dos Vatas, pelos Kaphas (com moderação) e pelos Pittas, façam bom proveito!

Texto e receita por Glendha Kreutzer

Oficina Prática de Nutrição Ayurveda em Campinas/SP

Queridos amigos, gostaria de convidá-los a participar

de mais uma Oficina Prática, onde realizaremos algumas delícias

de receitas criadas à partir dos princípios da Nutrição Ayurveda!

folder

A convite do Espaço Holístico Dillaram, estarei presente no dia

26 de setembro das 10 às 16hs para colocarmos a “mão na massas”,

batermos um papo ayurvédico de como os alimentos

influenciam na qualidade de nossa mente e vida.

Venha participar conosco, inscrições:

(19) 35798557 / whats 983262871

contato@dillaram.com.br

Café da tarde Ayurvédico, vamos?

Café da Tarde Ayurvédico, vamos?
A Oficina Prática do dia 29 foi cancelada pois a maioria não podia nessa data, mas mais um ciclo se abre e volto a convidá-los para o próximo encontro ayurvédico:
Dia 12 de setembro das 13:30hs às 18hs abro as portas de casa, faço espaço na cozinha, tiro as panelas dos armários e visto meu avental para aguardá-los para uma agradável tarde no Canto dos Araças, com direito à mão na massa de novas receitas vegetarianas criadas com base nos princípios da Nutrição Ayurveda!
A ideia é executar e degustar receitinhas ideais para um café da tarde saboroso e saudável, algo como bolo doce, tortinha salgada, vitamina, achocolatado, biscoito e salgadinho, com ingredientes integrais e em sua maioria orgânicos e veganos, e enquanto tudo assa e cozinha, nos sentamos e abrimos a roda para uma breve meditação, explicação dos ingredientes e o bate papo descontraído ayurvédico:
– especiarias e suas propriedades terapêuticas
– atributos dos doshas, gunas e sabores
– combinações alimentares e adequações
– auto observação e consciência do corpo
As vagas são limitadas, para garantir seu lugar ao fogão, faça já sua inscrição:
Valor da Oficina – R$150,00
A efetivação de sua vaga se dá à partir do momento que responde ao email demonstrando seu interesse para poder receber meus dados, realiza o pagamento e envia o comprovante do depósito para esse email – espacocardamomo@gmail.com, mas sugiro não se demorar, pois são poucas vagas e a data limite é dia 03 de setembro, há não ser que não feche turma😉
 
GRANDE ABRAÇO À TODOS!!!
 
Glendha Kreutzer

Ahhh a canela…

Hoje acordei com muitos pensamentos na mente, mas o bom é que o último sempre grita bem alto dizendo “vai meditar”! E eu normalmente obedeço, haha! Mas me vinha sempre o questionamento “você abandonou a escrita, faz tempo que não posta um recado, receita, mensagem, nadinha naquele blog tão nutritivo”…bom, e como ultimamente tenho praticado o estado de presença acima de tudo, deixei as coisas fluírem durante o dia até se apresentar a inspiração do momento ” como pode alguém viver sem um punhado de canela em pó em sua cozinha?”, e aí vai:

canela

Ela vai desde os usos mais populares como banana amassada com canela, pitada de canela no chocolate quente, um bom punhado de canela em pó por cima do arroz doce, o infalível chá de canela e gengibre para aquecer no inverno, até as mais raras e desconhecidas receitas como canela em pó, mel e borra de café para o banho depurativo, canela em rama pilada para a receita da Garam Masala, emplastro de gengibre, canela e pimenta do reino para ativar a digestão, óleo essencial de canela para dores reumáticas e outras funções a mais que qualquer site ou blog informativo poderá exemplificar melhor, pois o que me interessa realmente é PERCEBER A CANELA!

Percebendo a canela: quente, seca, aromática, envolvente, ativa, intrigante, sedutora, democrática, popular, essencial…, quer mais? Ok vamos desenvolver um pouco: é ela, junto à baunilha, quem tira o gosto de ovos das sobremesas, ela acelera o metabolismo ajudando nos processos de emagrecimento, por ser quente, ela também ativa a circulação aquecendo as extremidades do corpo, ela também é ultrafrodisíaca, não é balela não!

canela2

Uma borrifada de água com álcool de cereais, óleo essencial de laranja com canela no ambiente e pronto, qualquer angústia ou depressão se dissipa, alegrando as energias!

“Canela, fazedora de amizades, para encontrar quem o pegue pela mão, quem corra e ria com você”

“E para os outros de olhos de pedra, Canela destruidora de inimigos para lhe dar força, força que crsce em suas pernas e braços e principalmente em sua boca até você acabar gritando ‘Não!’ bem alto para fazer com que, surpresos, eles parem” –  Trecho do Livro A senhora das Especiarias

E antes mesmo de achar um absurdo qualquer pessoa não ter, que seja uma pequena rama, um pacotinho da canela em pó, logo os pensamentos se esclarecem em minha mente: “essas pessoas não tiveram avó ou pelo menos não se lembram delas, pois se lembrassem…”.

A canela é a nossa ancestral matriarcal, inspiradora de grandes romances e navegações, sua presença trabalha e liberta a consciência da escravidão, trazendo a percepção dos karmas passados ajudando a liberá-los de forma harmônica e verdadeira.

Ela não permite que mais nada se esconda, assim como seu aroma quando ativado nas panelas de barro!

Sugestão do dia: Aproveite para chacoalhar aquele tapete onde costuma varrer umas sujeirinhas para debaixo…, sabe qual é? Parecido com aqueles padrões de comportamento que costumamos justificar dizendo “Mas eu sou assim mesmo, não posso mudar”, ou afirmações rígidas como “Quem quiser que me aceite desse jeito”, ou ainda aquela famosa “Não tem nada de errado comigo, o problema é do outro”, haha, converta essa tagarelice mental de boicote em meditação na cozinha:

Banho depurativo – passe um café bem gostoso, tome o na companhia de um bom pedaço de bolo integral de milho, resgate a borra do café e misture com uma colher de chá de canela em pó e uma colher de sopa de mel, mexa e se quiser acrescente 2 gotas de óleo essencial de gerânio e de laranja, vá para o seu banho e limpe tudo da sua mente através das águas derramadas pelo chuveiro, peça lucidez para os tempos difíceis, paciência com seu vizinho e aproveite também para agradecer a água limpa, cheia de prana, que te une à Mãe Divina, no final de tudo, despeje um pouco da mistura na palma da mão e esfolie pacificamente a pele de cada parte do seu corpo com movimentos circulares, no final remova com água e vá pra cama fazer uma auto massagem, você merece!

feminino

Oficina de Preparados de Elixires Naturais

“Oficina de Preparados de Elixires Naturais”

Ãh, o que seria isso?

 

Reunir algumas mulheres e realizar um curso sobre beleza interior e exterior (claro) …., mas nenhum homem? Só mulheres mesmo? Ai ai ai, não sei não…hehehe, foi esse meu pensamento quando organizei esse curso com algumas amigas queridas.

Algum tipo de preconceito com minha própria natureza feminina? Não, na verdade confesso que carrego uma certa intolerância por alguns assuntos que foram implantados pela nossa sociedade com o rótulo de femininos, tais como “cuidar do corpo”, “o modelito da gostosa da novela das oito”, “papos de DR com o marido” etc etc etc, e por ai vai a baboseira denominada de Universo Feminino…como podem resumir algo tão belo, simples (nem tanto) e sutil, à meras tolices cafonas?

Mas com apenas um ajuste de foco, o que parecia o caos vira o paraíso: Reunir a essência feminina num ritual sagrado regado à momentos de silêncio, reflexão e moderada tagarelice…hum…parece bom!

Claro que poderemos falar de beleza, mas não aquela beleza das oito, mas a beleza intrínseca a qualquer ser que vive, sente, respira e se transforma…. vamos?

 

folder_mulher

Receita de Bolo de Melado e Especiarias

Quem disse que não é possível comer alguns docinhos sem culpa?

Até porque a culpa às vezes se relaciona com uma sensação de insegurança, falta de amor próprio e desmerecimento.

Mesmo assim não cairemos no ditado popular e nem sempre muito inteligente “Vou comer mesmo, afinal eu mereço!”

Você merece o que? Quem é “quem merece” e quem está “ditando as regras do merecimento”? Já pensou nisso? Já pensou em quantos boicotes caímos quando nos deixamos levar pelas flutuações da mente sem ao menos realizarmos esses questionamentos?

Não basta falarmos em alimentos, receitas e doshas, é preciso lembrar que mesmo todas esses conceitos juntos não são capazes de nos levar ao entendimento, se não tiverem alinhados com uma mente sã e presente.

Aliás, eles podem inclusive nos levar ao embotamento e distração se nos apegarmos à eles e esquecermos que são somente ferramentas mas não o objetivo final…aliás, qual o seu objetivo final?

Enquanto isso, segue uma receitinha que já podes levar ao forno, programado para assar por 35′, tempo justo para uma boa meditação, não?

IMG_1243[1]
Quase não sobrou bolo para a foto!!!

BOLO DE MELADO E ESPECIARIAS – bom para vata!

2x de aveia fina

1x de semolina fina

1 c de sobremesa de canela em pó

1 c de chá de noz moscada em pó

1 c de chá de cardamomo em pó

1 c de sobremesa de gengibre fresco ralado

1 c de sobremesa de bicarbonato

1 x de melado

2/3 x de ghee ou óleo de coco

1x de leite de coco (feito em casa!)

2 c de sopa de chia 

1/2 x de amêndoas picadas

Em uma panela aquecer rapidamente, mexendo para dissolver o melado, ghee, leite de coco e chia, desligar e esperar esfriar, enquanto isso misturar os secos (menos o bicarbonato) com as especiarias.

Derramar aos poucos a mistura da panela nos secos e mexer até formar uma massa homogênea, acrescentar o bicarbonato e derramar numa fôrma untada e levar ao forno pré aquecido, assim que a massa tiver firme (não pode deixar secar muito), desligar o forno, entreabrir a porta e aguardar esfriar a massa. Essa é uma massa que não cresce muito, fica parecendo um pão de mel.

Para a calda: 1/2 x tanto de água quanto de melado, 2 c de sopa de cacau, 1 c de sopa de água de flor de laranjeira, mexer até engrossar, desligar e aguardar esfriar antes de derramar sobre o bolo.

Boa degustação meditativa!!!

_/\_

Cúrcuma

bf47fedd6d7e57cd934d8355d097edc9

“Cada especiaria tem um dia especial. O da cúrcuma é domingo.  Passe a mão de leve pela superfície, e o sedoso pó amarelo gruda na palma e nos dedos. Pó de asa de borboleta.  Leve a mão ao rosto, esfregue-a na face, na testa, no queixo. Não hesite. Desde mil anos antes do começo da história, as noivas – e as que desejam se casar – fazem isso. Apaga manchas e rugas, absorve a velhice e a gordura. Por vários dias, sua pele continuará com um leve reflexo dourado.” (Chitra Divakaruna. A Senhora das Especiarias).

photo 1

Esta é a flor da Cúrcuma, que nasceu no jardim de casa esta semana. Um presente da natureza. Há um  ano enterrei alguns bulbos da raiz para brotar, veio uma folhagem ornamental linda, de folhas arredondadas bem verdinhas. É bem fácil de brotar, basta uma terrinha adubada, um pouco de espaço e sol. E não é só isso, existe o momento certo de colher os rizomas, floração bonita sinal de boa colheita. O melhor período para plantar é entre  inverno e primavera, e mais ou menos neste período será o momento da colheita, entre sete a nove meses após o plantio. Mas tem mais, as anciãs das especiarias, só colhem essas raízes bulbosas na hora exata em que a noite se transforma em dia.

Em sânscrito  é chamada de halud, que significa amarelo, cor do romper da aurora. Cúrcuma, a especiarias auspiciosa, é colocada na cabeça dos recém nascidos para dar sorte. Na ayurveda é o pozinho de ouro, principalmente para os pittas. A cúrcuma é pura saúde, purificadora do sangue e do fígado e pode ajudar a baixar níveis altos de colesterol no sangue. Auxilia nos tratamentos  em casos de gastrites e diminui os riscos de úlceras, por seu efeito calmante sobre o sistema digestivo. Possui propriedade anti-inflamatória, auxiliando os tratamentos para artrite. Além disso, contém óleos essenciais com características antioxidante e antimicrobiana.

Como chá, adicione meia colher de chá a uma xícara fervente, deixe ferver por alguns minutos. Em casos de gripe, resfriados ou febre: combinar com gengibre, coentro, cardamomo, canela e mel.

Em casos de irritação, vermelhidão e assaduras, preparar uma pasta com aloe vera e aplicar diretamente na pele.

Receita de suco de cúrcuma para inflamações e dores nas articulações: 2 cenouras, 1/2 batata doce, 1/2 fatia de abacaxi, 1 pedaço de gengibre e 1 pedaço de cúrcuma (ou 1 colher de chá do pó da cúrcuma). Bater no liquidificador com água fresca e coar. Frutos normalmente, não se misturam com as raízes, mas neste caso, o abacaxi potencializa as propriedades anti-inflamatórias dos ingredientes.

Na gastronomia o pó da cúrcuma realça os pratos com sua cor dourada. É a base de muitos currys e masalas. Dica ayurvédica, pode ser adicionado em alimentos com muita proteína como um antídoto, ajuda na assimilação e absorção deste nutriente. Uma pitada de açafrão, um toque a mais de saúde. Experimente!

photo 2

Torta cremosa de legumes

Mais uma criação gastronômica do almoço de domingo, com pitadinhas da

Masala de Páprica ingredientes orgânicos, não teve como não dar certo!

* Atenção! Na receita da massa, opção para os Veganos: substituir o ovo por 1 colher de sopa de chia hidratada por 15′ em 3 colheres de água ou 1 colher de sopa de semente de linhaça e substituir o ghee por óleo de coco ou palma.

torta A Receita:

Para a massa preparar o leite de aveia misturando 1 xícara cheia de aveia em flocos com 1/2 litro de água, bater no liquidificador, coar no voal e voltar esse leite para o liquidificador com mais 2 colheres de sopa de semolina fina, 2 colheres de sopa de ghee, 1 ovo*, pitada de sal do Himalaia, 1 colher de sobremesa de fermento (pode substituir por bicarbonato), bater mais um pouco e reservar.

Para o recheio picar em cubinhos 2 cenouras, 2 carás pequenos, 1 inhame, 1 abobrinha, 2 cebolas, 2 tomates, 1 pimenta dedo de moça cortada bem miudinha, então cozinhar os legumes (menos tomate, cebola e pimenta) no vapor por 8′ e logo refogar os  tomates, cebolas e pimenta no ghee com 1 colher de café da masala de páprica, adicionar os legumes feitos no vapor e cozinhar sem a tampa  para que os legumes possam secar um pouco, adicionar pitada do sal do Himalaya, desligar e acrescentar 1 colher de sopa de semolina fina e mexer até misturar bem.

Pré aquecer o forno por 10′, untar uma fôrma de vidro com azeite e semolina fina, despejar os legumes e por cima a massa feita com o leite de aveia, polvilhar semente de gergelim por cima e para quem não está de dieta detox, salpicar um pouco de parmesão ralado, botar no forno e assar por 1′ e em seguida gratinar caso teu fogão te permita tal façanha!

Essa receita é leve e nutritiva, pode ser consumida fria ou quente!