Feeds:
Posts
Comentários

Arquivo da categoria ‘Receitas’

Para quem irá participar do nosso próximo curso,

eis o cardápio delicioso do dia:

- Chapatis de farinha de grão de bico

- Chutney de Pêra com Pimenta Rosa

- Chutney de Ameixa e Tamarindo

- Arroz integral frito ao Molho Manju

- Dhall de lentilha à moda Sambar Masala

- Batata gratinada ao Curry Tailandês

- Cenourinhas acompanha de Raita de Coco e Coentro

Lembrando que no “segundo round” teremos

receitas tônicas ayurvédicas…

Imperdível e Saboroso!

:)

 

Read Full Post »

Cardápio Ayurvédico

Temos recebido muitos pedidos de auxílio para montagem de cardápios conforme a Ayurveda, e resolvemos compilar os pontos que essa Medicina considera para a elaboração do mesmo:

- as combinações harmônicas dos alimentos

- a natureza de cada alimento

- forma do uso de especiarias

- dieta para cada dosha (biotipo)

- estação do ano e temperatura

Considerando os pontos acima, trabalhamos na elaboração de cardápios que facilitem sua execução no dia a dia, para que a prática da Ayurveda seja possibilitada de acontecer dentro da rotina de cada um, se adaptando aos dias de hoje.

O sabor é outra consideração importante para que perdure a prática ayurvédica dentro da cozinha, pois devemos lembrar que as mudanças alimentares não são tão fáceis e rápidas de acontecer, é preciso adaptação e flexibilidade, é preciso um sabor agradável para que exista a vontade de se alimentar!

Os cursos que oferecemos tem essa premissa: saúde à partir do conhecimento milenar ayurvédico, associados ao sabor e manuseio correto das especiarias na elaboração de pratos e receitas que considerem as combinações ayurvédicas.

Os cardápios que criamos e executamos são indicados às pessoas que já realizaram anamnese conosco ou outro terapeuta ayurveda, ou seja, conhecem teu dosha (biotipo) e necessitam de ajuda para “saber o que comer”, como preparar, ter as receitas em mãos para praticar no dia a dia. Pois ” o que não comer” todos já saem da consulta sabendo!

Alimentar-se com consciência é ter conhecimento e condições para trazer à realidade do dia a dia os conceitos que já sabemos na teoria!

 

 

Read Full Post »

Texto  :  Glendha  Kreutzer

Quem disse mesmo que os vatas nao podem com o grão de bico? Isso se nao retirarmos as cascas, o que ajuda a reduzir e bastante a questão da digestibilidade e dos gases acumulados. Ahhh, lembrando tambem que a assafetida e nosso temperinho segredo que auxilia aos vatas a digerir em paz esse grão tao nutritivo! Receitinha para os vatas acumularem um pouco de kapha saudavel nesse inverno…

DICA - Cozinhe os grãos em panela simples, não se panela de pressão, pois essa não permite que os “gases” contidos no grão de bico possam evaporar!

Simples assim: Deixar o grao de molho de um dia para o outro, entao escoar e colocar para ferver com agua limpa, apos 30′retirar novamente a agua e colocar agua morna, entao chegou o grande momento da retirada da casaca! Com as duas maos, esfregar os graos uns nos outros ate as peles comecarem a soltar…, e com uma peneira retirar as peles que sobem e ficam boiando no alto da panela. Novamente trocar de agua e agora utilizando uma panela de barro, vamos ao refogado.

Para 1/2 kg de grão de bico:

- 1 cebola grande bem picada e frita no ghee

- 3 tomates higienizados e sem casca (de preferencia organico, ta?)

- 2 folhas de louro e 3 folhas de curry

- 1 colher de cha de noz moscada em po

- 1 colher de cha de curry em po

- 1 pitada de canela

- 1 colher de cafe de assafetida em po

- 1 colher de cha de paprica picante

- sal do himalaia em po

Refogar os temperos na panela, acrescentar o grao de bico ja descascado e semicozido, entao juntar 3/4 de um vidrinho de leite de coco e agua o suficiente para formar um caldo que cubra os grãos, deixar cozinhar com a panela semi tampada por alguns minutos, ate os grãos estejam macio a ponto de aperta-los com a concha, para assim engrossar o caldo.

Bon apetit!

Read Full Post »

Texto  :  Glendha  Kreutzer

 

Rodelas de Abobrinha e Berinjela gratinadas com recheio de molho de Tahine

Passar 2 abobrinhas e duas berinjelas orgânicas e higienizadas no mandolim no ralo médio e deixa-las reservadas numa bacia junto a:

- 5 colheres de sopa de azeite

- 2 colheres de sopa de oregano seco

- 1 colher de cha de alecrim fresco

- 1 colher de cha de gengibre fresco ralado

- 1 colher de cha de curry em po

- 1 colher pequena de sal grosso do himalaia levemente triturados

Em uma frigideira de inox pingar algumas gotas de azeite e colocar as rodelas de forma que fiquem em contato com o fundo da panela para serem levemente tostadas, entao vira-las para tostar do outro lado.

Montar em uma refratário uma rodela de berinjela, uma camada fina do creme de tahine e uma rodela de abobrinha e pronto para servir!

Para o creme de tahine:

- 1 colher de sopa de tahine

- suco de 1/2 limao

- 2 colheres de sopa de azeite

- pitada de sal

Misturar tudo numa vasilha ate ficar homogeneizado.

Ótima receita para acompanhar canapés vegetarianos, e suco fresco de laranja com gengibre!

Read Full Post »

CEIA DE NATAL

Texto  :  Glendha  Kreutzer

CEIA VEGETARIANA, DELÍCIA!

Para os que buscam inspiração para o cardápio natalino (momento de reunião entre familiares, logo, momento também de polemicas a respeito do vegetarianismo!), seguem algumas dicas e receitinhas vegetarianas, com toques ayurvédicos:

- ENTRADA -

Para a Medicina Ayurveda, devemos nos alimentar somente quando sentimos realmente fome e quando já digerimos o alimento anterior. Para uma boa digestão e absorção dos nutrientes, é necessário que nosso organismo esteja produzindo em equilíbrio alguns ácidos capazes de quebrar as partículas dos alimentos, facilitando assim o trabalho dos órgãos que receberão posteriormente o alimentos pré digerido.

Para estimular esses sucos gástricos, podemos utilizar elementos quentes e ácidos dos alimentos, assim também como os alimentos que fermentam (talvez seja essa a explicação dos indianos ingerirem primeiro o doce e depois o salgado, uma vez que o doce fermenta em nosso organismo).

Sugestão do chef

Suco fresco de gengibre, laranja e cardamomo: descasque e rale o gengibre (do tamanho da ponta de um dedo), bata no liqüidificador com o suco de 6 laranjas pera e uma baga inteira da semente de cardamomo.

Se desejar adoçar, utilize o melado (3 colheres de sopa), assim já combinamos a absorção do ferro do melado com a ajudinha da vit c da laranja, além da capacidade do gengibre em “aquecer nosso fogo digestivo”.

Chutney picante de manga: frutinha essa um tanto especial para os indianos, a manga além de ser nutritiva é uma excelente fruta para o preparo das geléias agridoce, pois possuem um sabor doce facilmente combinado com as pimentas.

Acrescentar numa panela (de preferencia de inox ou barro): 1 xícara de açúcar demerara e um pouco d água até formar uma calda, 1 pitada de sal, 2 pimentas dedo de moca bem picadas e sem sementes, 1 colher de sopa de gengibre ralado, sementes de 5 bagas de cardamomo já tostadas, 4 colheres de sopa de lascas de coco (de casca marrom), 4 mangas descascadas e picadas, e deixar cozinhar até a manga desmanchar (em torno de 25′), entao acrescentar 1/2 xícara de vinagre de maca e 1/2 xícara de amêndoas previamente tostadas e cozinhar por mais 5′.

Ideal para servir com chapatis ou mesmo torradinhas integrais.

- PRATO PRINCIPAL –  

Já com as enzimas digestivas em ação, e sensação de fome, com muita vontade de se alimentar de prana,  este é o momento de degustar em pequenas porções, de um prato mais substanciosos e da combinação dos 5 sabores (salgado, doce, amargo, azedo e ácido), estes necessários para o equilíbrio dos 5 elementos (terra, água, fogo, ar e éter) em nosso corpo e mente.

Dentro do conceito alimentar ayurvédico, nossos doshas (código genético) podem ser equilibrados através de nosso estilo de vida, temperatura e estações do ano, praticas físicas e espirituais, entre outras práticas, assim como também através de alimentação equilibrada, combinação entre os alimentos, tempo de cozimento etc.

Para nao adentrarmos no assunto de alimentos indicados para cada dosha (o que seria um assunto extenso e delicado), nos manteremos nas combinações e uso das especiarias para ajudar na digestão dos alimentos de natureza mais pesada, ou seja, com mais terra em sua constituição.

Sugestão do chef

Risoto de arroz com funghi, brócolis e pistache: Sejamos sinceros a respeito da natureza desses componentes! O arroz arbóreo nao contém tantos nutrientes quanto o arroz integral, mas na questao gastronomica ele é o melhor para fazer risotos por sua grande quantidade de amido. O brócolos deve ser feito no vapor para nao perder suas propriedades de cálcio e ferro, além de ser um excelente alimento para reduzir o colesterol, assim como o pistache, este por conter uma substancia chamada fitoesterol, e fonte de proteínas (considerada uma das melhores entre as oleaginosas).

Para cozinhar o arroz, podemos usar um caldo feito das cascas de legumes (com certeza orgânicos!), já coado e salgado. Separadamente, pode-se refogar com ghee, uma cebola cortada em tiras,  acrescentar as especiarias em grãos já tostados na proporção de uma colher rasa de sopa : semente de mostarda preta, cominho, além do açafrão em pó. Juntar o funghi já lavado, hidratado e cortado em tiras, acrescentando aos poucos a água utilizada na hidratação. Após 5′, acrescentar o brócolis bem picadinho (pode ser cru ou levemente cozido no vapor) e desligar.

Quando o arroz estiver bem macio e quase seco, acrescentar 1 xícara de queijo ralado de sua preferencia (eu particularmente me arrisco com o parmesão argentino, com a garantia de que após a refeição será servido algum chá para ajudar na digestão de laticínios!). Mexer bem e com jeitinho até o queijo derreter e dar liga no arroz, se necessário acrescente mais a água do funghi, e entao  os componentes da panela do refogado, mexendo delicadamente para nao desmontá-los.

Numa frigideira, tostar levemente os pistaches (1/2 xícara e sem casca) e acrescentá-los no risoto já pronto. Agora é só servir e pedir ao Deus do Fogo Digestivo (Santo Agni!) para ajudar na metabolizacao!

- ACOMPANHAMENTO - 

Já que o nosso risoto está um pouco tamásico (pesado, o que pode de alguma maneira deixar nossa mente e corpo letárgicos se nao nos assegurarmos de sua digestao completa), vamos optar por um acompanhamento mais leve e composto pelos outros sabores.

Sugestão do chef

Salada de grãos germinados e folhas verdes: Para mantermos presentes nessa refeição os cinco sabores, é interessante dar prioridade as folhas verde escuras e amargas, como o radite, rúcula e almeirão, todos orgânicos, bem lavados e picadinhos. Os germinados, além de serem alimentos cheios de vitalidade e prana, eles triplicam suas propriedades nutritivas, e sao facilitadores da digestão.

No dia anterior deixar de molho 1/4 xícara de semente de girassol, de linhaca e de gergelim cobertos de água limpa, cubra o vidro com um pedaço de filó e prenda com um elástico. Verta o vidro e despeje a água. Enxágue bem sob a torneira e coloque o vidro inclinado e emborcado num escorredor, em lugar sombreado e fresco, enxágue pela manhã e à noite. Nos dias quentes é preciso lavar mais vezes. Pode-se ainda optar por um molho de salada de limão siciliano, azeite e mel.

Cuscuz marroquino: As propriedades nutricionais do cuscuz são muito semelhantes às do trigo. O trigo, além de hidratos de carbono, apresenta cálcio, magnésio, sódio, potássio, silício, zinco e vitaminas A, B, K, D. O seu preparo é muito rápido e simples, nao destruindo assim seus nutrientes durante o cozimento. Tostar numa frigideira de ferro e depois pilar: 1 colher de chá de sementes de erva doce, o mesmo de sementes de urucum e 1 colher de sopa rasa de coentro em sementes. Logo, refogá-las no azeite acrescentando uma cenoura ralada e 1/2 abobrinha também ralada, uma pitada de sal, entao juntar 1 1/2 xícara da sêmola, misturando rapidamente e com cuidado. A parte, já deixar pronta a mesma quantia de água fervida para entao acrescentar ao cuscuz, assim que tiver secado a água, pode-se retirar do fogo. Picar bastante salsinha orgânica (1/2 xícara) para finalizar o prato.

Após a refeicao, indica-se um leve descanso acompanhado de boa companhia e conversa com assuntos suaves! Também a ingestão de um chá digestivo, sugerimos o chá da casca do abacaxi (novamente organico!) + sementes de cardamomo, deixar ferver alguns minutos e tomar sem adoçar.


Que o seu alimento seja o seu remédio (Hipócrates), que as suas palavras sejam reflexo de seus bons pensamentos, e que seus pensamentos sejam fruto de uma mente em paz e equilíbrio!

Bom fim de ano a todos!

Read Full Post »

Texto  :  Glendha  Kreutzer  /  Participação  :  Alecrim  Corrêa

O que poderia ser mais gratificante do que fazer o que se ama junto aos que amamos? Cozinhar com dedicação, em companhia alegre e agradável e servir com gratidão é o exercício mais belo e saboroso que podemos praticar!

No último domingo, dia de Páscoa, TerrAtiva e Espaço Cardamomo se reuniram para oferecer um almoço em comemoração do batizado de uma criança. Cardápio de Alecrim e pitadas saborosas de Glendha:

ENTRADA – mini tapióca para acompanhar as pastas de semente de girassol germinada e temperada e creme de queijo com verdinhos. Acompanha chá de gengibre e hortelã.

PRATO PRINCIPAL – Arroz jasmim ao perfume de cardamomo, quinoa com cenoura raladinha e cravo, dhall de ervilha com leite de côco e alecrim, tortinha integral de abobrinha e cebola, salada verde de folhas orgânicas e lascas de beterraba. Acompanha refresco de hortelã, funcho e limão.

SOBREMESA – Mini tapióca recheada de doce de goiaba e côco ralado, sorvete de côco e raspas de gengibre. Acompanha chai.

E voilá, bon apetit mes amies!

Produzimos eventos, almoços, jantares, tea e coffee breaks, entrem em contato e confiram as possibilidades dos cardápios elaborados por terapeutas/culinaristas ayurveda, com opções ovolactovegetarianas e veganas, orgânicas e integrais!

Read Full Post »

Inhoque de rúcula

Texto  :  Glendha  Kreutzer  /  Fotos  :  Alexandre  Cunha

Inhoque de rúcula ao molho de gorgonzola e tomate seco….HUMMM!!!

 

 

 

 

E ainda tem quem acredite que a alimentação vegetariana é restrita, sem sabor e criatividade! Pois bem, para desmascarar a indústria dos carnívoros (nada contra, rs), montamos e oferecemos diversos pratos cheios de amor e sabor. Dia 21/04 comemorando meus 28 aninhos, pude contar com meu parceiro não só de trabalho (chef Fabiano Gregório) mas de excelentes degustaçãoes para e execução do menu:

- entrada de brusquetas de abobrinha, molho especial vermelho, hortelã e azeite

- biscoitinhos integrais de linhaça com chutney de tomate, de maçã e pasta de berinjela

- prato principal inhoque de batata com rúcula, molho de gorgonzola e tomate seco com castanhas e salada fresca

- sobremesa cuca integral de maçã

- ótimos vinhos tinto e branco

Aos que ficaram com água na boca, boa notícia: sim, trabalhamos oferecendo jantares especiais, escolha seu tema e bon apetit!!!

Read Full Post »

Texto  :  Glendha  Kreutzer

 

Lugar de terapeuta também é na cozinha!

 

Como algumas experiências gastronômicas costumam dar certo, outras nem tanto, falaremos das que tem sabor e aroma inesquecíveis…

Alguém experimentou misturar repolho roxo no molho do macarrão? Pois bem, para quem não sabe o que fazer com esse ser roxinho que nos dá tantos gases, ai vai a dica:

 

Picar bem meia cabeça de repolho roxo.

Levar à panela 1 colher de sopa de ghee (manteiga clarificada), e refogar 1 cebola junto à 1 c. de sopa de açúcar mascavo.

Quando a cebola  estiver já caramelada, colocar 1 c. de chá de masala kapha*. Juntar o repolho picadinho e misturar bem, tampar e deixar cozinhar por 5 min no máximo. Tirar do fogo e reservar.

À parte, diluir 1 c. de araruta em 1/2 xícara de shoyo com 1 xíc de água. Levar ao fogo somento até engrossar.

Misturar o refogado do repolho ao molho de shoyo, acrescentar  nozes picadas et voilá, está pronto o mais simples e saboroso prato que vocês podem imaginar!

Ah! Não esquecer de cozinhar uma massa caseira, de preferência integral para acompanhar o molho!

* Masala kapha contém: coentro, cominho, manjericão, malagueta, pimenta do reino, mostarda, gengibre, açafrão e cravo.

 

 

Os benefícios dessa alimentação?

 

- A masala, por conta dos incríveis temperinhos, ajuda na digestão do repolho, diminuido assim os gases.

- O repolho possui o selênio, nutriente que ajuda a manter a pele saudável,

- É fortificante dos ossos por conter fósforo,

- Fortalece o sistema imune pois é rico em Vitamina C e diminui o risco de infarto, por conter antocianinas (os mesmos que existem nas uvas e no vinho)

Read Full Post »

Texto: Ananda Knoll

Khitchri é um prato tradicional indiano, feito em grandes festas na Índia, na qual, ele é destribuído para milhares de pessoas e o mais incrível é que apesar da quantidade feita, ele nunca perde o sabor e a consistência cremosa. Os chapatis são servidos junto com o Kitchri, substituindo os talheres.

Na Ayurveda o Kitchri é um dos pratos principais para os tratamentos de desintoxicação, uma combinação perfeita com legumes, arroz e feijões ou leguminosas. O Khitchri pode ser usado em dietas pelos três doshas, mas podemos levar em consideração que temperos usar para cada dosha, abaixo damos algumas sugestões..

Ingredientes:

Arroz integral

Legumes (cenouras pequenas, abóbora, folhas inteiras de espinafre, acelga ou repolho roxo)

Feijões diuréticos (lentilha, ervilha ou azuki)

Massala: Dosha Pitta: cominho, coentro, açafrão

Dosha Vata: coentro, assafétida, gengibre, açafrão e pimenta do reino

Dosha Kapha: cominho, açafrão, gengibre, sementes de mostarda e pimenta calabresa ou do reino

Preparo:

Cozinhe a lentilha e o arroz separadamente, quando estiverem quase cozidos misture os dois numa panela com os vegetais picados, o sal e a massala frita. Deixe cozinhar mais um pouco até os legumes estarem cozidos,  ele deve ser cremoso, se estiver seco coloque água e mexa.

Read Full Post »

Texto:  Glendha  Kreutzer  /  Foto:   Michal  Kirschbaum

  • SUSHI ANTI VATA

Cozinhar o arroz  Gohan da maneira tradicional (podem se informar no http://bloguedabia.blogspot.com)  mas adicionando o tempero curry para neutralizar e transformar a potência fria do arroz em quente, facilitando assim a digestão do alimento.

sushi

Para o recheio utilizar os seguintes ingredientes:

-   Cenoura levemente cozida com gengibre;
-   Amendoim bem picadinho e gergelim torrado;
-   Folhas frescas de hortelã.

Essa é uma receita não tão “quente” nem oleosa quanto à do sushi de abacate. O objetivo da combinação desses ingredientes é pacificar a mente facilitando a concentração. Indicado nos casos onde Vata em excesso deixa a mente “avoada” e agitada.

Para acompanhar pode-se usar o chutney de côco com gengibre e cardamomo.

  • SUSHI ANTI KAPHA

Cozinhar o arroz  Gohan da maneira tradicional mas adicionando a mostarda em pó, pois a mesma combate o acúmulo de toxinas em nosso organismo, além de esquentar o virya do arroz.

3660981816_bd1263dcabE vamos para os recheios:

-  Couve flor bem picadinha e levemente cozida no ghee com sementes de mostarda (não deixá-la amolecer muito);
- Tomates secos  (hidratá-los e secá-los bem);
- Rúcula lavada e bem sequinha.

Essa receita contém ingredientes de potência amarga que ajuda a neutralizar as toxinas, muito comumente produzidas quando o dosha kapha está em excesso em nosso organismo, produzindo assim um desequilíbrio no corpo e consequentemente na mente.

Para acompanhar podemos optar pelo chutney de tomate com pimenta calabreza… hummm….

Dica: deixar os ingredientes bem secos para que não umedeçam a alga.

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 453 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: